quinta-feira, 9 de dezembro de 2010
divulgando

No dia 05 de novembro, durante o IV Encontro Nordestino de Software Livre foi lançado o Sistema de Gestão de Frotas desenvolvido pelo município de Fortaleza. Trata-se de uma segunda solução utilizada pela prefeitura de Fortaleza que é disponibilizada no Portal SPB. O Sistema funciona na prefeitura desde 2008 e tem ajudado a gerenciar e controlar o uso dos veículos.

Cristiano Therrien, coordenador de TI da prefeitura, tem a intenção de disponibilizar mais soluções no Portal SPB. Na avaliação do coordenador Fortaleza tem dado exemplo de compartilhamento de soluções para outras prefeituras brasileiras. "A disponibilização de software deveria ocorrer com mais frequencia por parte de outras prefeituras", reforça Cristiano.

O Sistema de Gestão de Frotas-SGF otimiza o controle de frota em um ambiente único baseado em Software Livre. O sistema foi elaborado visando a transparência, agilidade no acesso às informações, diminuição dos gastos públicos e a construção de uma alternativa ecologicamente viável ao uso do papel.

A Solução tem como objetivos específicos:

=> Sistematizar e controlar todo o processo de abastecimento, utilização da frota, veículos nas oficinas e abastecimento de combustível;

=> Reduzir o consumo de papel;
=> Reduzir os atrasos no resgate das informações;
=> Melhorar o controle de utilização dos recursos da frota.

Acesso ao Sistema de Gestão de Frotas
sábado, 2 de outubro de 2010
Esta semana tive um choque de cultura ao usar pela primeira vez um Mac OS X, e imagino que muitos já passaram por isso ou ainda passarão.

Para estes novatos, como eu, publico aqui uma série de pesquisas e links que acessei procurando solucionar minhas dúvidas, e todas funcionaram muito bem.

Dúvida
Solução
Link


Como saber o seu IP na rede em um Mac
Mac OS X (10.4) - Finding the IP address and MAC address
http://kb.wisc.edu/helpdesk/page.php?id=6526


Apache, PHP e MySQL no MacOS com XAMPP
XAMPP for Mac OS X
http://www.apachefriends.org/en/xampp-macosx.html


Como migrar as bases do MySQL do Windows para MacOS
MySQLDUMP - Aprenda a fazer backup's de sua base de dados




Como editar o httpd.conf
How to edit httpd.conf on MacOS
http://www.anujgakhar.com/2009/01/19/how-to-edit-httpdconf-on-macos/

Apache/PHP httpd.conf Location
http://www.computing.net/answers/mac/apachephp-httpdconf-location/7518.html



Como alterar dados em um HD formatado em NTFS no MacOS
Como usar um HD com NTFS em um MacOS
http://tecnocracia.com.br/587/como-usar-um-hd-com-ntfs-em-um-macos/

How-to: Read and Write NTFS Windows Partition on Mac OS X
http://www.lifehack.org/articles/lifehack/how-to-read-and-write-ntfs-windows-partition-on-mac-os-x.html

MacFuse
http://code.google.com/p/macfuse/

NTFS-3G for Mac OS X 2010.8.8
http://macntfs-3g.blogspot.com/2010/09/ntfs-3g-for-mac-os-x-201088.html



Como maximizar janelas no Mac OS clicando no botão +
Switching To Mac
http://www.switchingtomac.com/tutorials/make-the-os-x-maximize-button-work-like-windows/

Right Zoom for Mac 1.7
http://www.blazingtools.com/downloads.html#RightZoom



Como bloquear a tela, ao estilo Windows+L
Create a screen-locking keyboard shortcut 
http://hints.macworld.com/article.php?story=20050706194219822



Como desenvolver para iPhone
iOS Dev Center
http://developer.apple.com/devcenter/ios/index.action



Como descompactar ZIP com múltiplos volumes (ex.: .zip.001, .zip.002, etc)
Stuffit
http://www.stuffit.com/mac-deluxe.html

how to open files .zip.001, Open .zip.001 files
http://www.insanelymac.com/forum/index.php?showtopic=85102



Como configurar um teclado ABNT2 no MacOS
Layout ABNT 2 Language pack Brazilian ( Portuguese)
Layout de Teclado Brasileiro ABNT2 para Mac
http://thiagosilvabauerguimaraes.blogspot.com/2010/09/layout-abnt-2-language-pack-brazilian.html

Brazilian ABNT2 Keyboard Layout for Mac OS X
http://github.com/lailsonbm/ABNT2-Layout



Ajustes, truques, dicas, macetes, chunchos, etc.
30 Must-Have Tweaks For Your Mac
http://www.smashingmagazine.com/2009/06/04/30-must-have-tweaks-for-your-mac/

Top 10 Mac OS X tweaks
http://lifehacker.com/261579/top-10-mac-os-x-tweaks

How to Tweak Mac OS X
http://chris.pirillo.com/how-to-tweak-mac-os-x/


Como alterar a fonte dos menus e programas e seu tamanho no Mac OS e melhorar sua suavização (smoothing)
Adição de comandos ao Finder
Exibir arquivos ocultos
Exibir caminho completo da pasta no título do Finder
TinkerTool
http://www.bresink.de/osx/TinkerTool.html

Como hibernar o Mac OS
Put your iMac or Mac Mini to hibernate
http://senzala.epx.com.br/2009/01/put-your-imac-or-mac-mini-to-hibernate.html


Se aproveitou alguma dessas dicas ou possui outras, deixe um comentário!

--
sábado, 11 de setembro de 2010
Esta semana visitei a Feira do Empreendedor do Sebrae-RS (http://www.feiradoempreendedor-rs.com.br/) e vou reproduzir aqui uma das anotações que fiz durante as palestras que assisti.


Palestra sobre Franquias
Fernando Perry - Vivenda do Camarão
Dicas para ser um empresário de sucesso:
1) Marque a vida com propostas. Mesmo se muitas não derem certo, continue criando propostas.
2) Delibere. Converse sobre o assunto, tenha prudência antes de executar.
3) Seja decidido. Não teimoso, mas decidido.
4) Aja. Ponha em prática as suas idéias inovadoras.

 Aspectos de um bom empreendedor:
  • Esforço
  • Economia
  • Coragem
  • Inteligência
Outras dicas avulsas:
  • Não se deixe contaminar pelo meio. "Se todo mundo faz, por que eu não posso?" é um pensamento que deve ser repudiado
  • Brasileiro só reclama das falcatruas quando não está envolvido, quando não está tirando proveito. O empreendedor de sucesso deve ser um exemplo de conduta. Sucesso não é dinheiro, é ser feliz. (E segundo Warren Buffet, sucesso é ser amado pelas pessoas que você quer que o amem)

Alexandre Pereira - Via Uno
Quem pensa em abrir uma loja precisa gostar mais de gente do que dos produtos que vende.


Palestra sobre Empreendedorismo na Era Digital
Gil Giardelli
  • As pessoas passam hoje em média 1,5 horas na frente da TV e 3,5 horas na internet.
  • Redes Sociais são Redes de Reputação
  • As pessoas viverão em média 100 anos e terão 3 carreiras ao longo da vida
  • Se dêem a chance de fazer coisas que podem acabar amanhã. Permita-se errar
  • As pessoas lêem porque um dia querem escrever
  • Para ter sucesso em um empreendimento digital é preciso ter os 4Cs:
    • Conteúdo
    • Colaboração
    • Comunidade
    • Comércio
  • A era digital marcou o fim da intermediação

"Não use velhos mapas para descobrir novas terras"

Silvio Meira
  • "Quem faz plano de negócio é Petrobrás. Empreendedor digital precisa responder apenas às perguntas: Qual o modelo do meu negócio? Qual problema eu quero resolver?"
  • "É muito fácil ter idéia. Mas quando a pessoa descobre que é difícil executar, desiste e pula pra próxima. Empreendedor é quem coloca as idéias em prática"
  • "Daqui a 15 anos todos terão coisas programáveis (se referindo a smartphones, onde citou que possuía dois celulares com Android). As quatro palavras chave são: Conectividade, Digital, Móvel e Programável"
Assisti ainda palestras sobre Nota Fiscal Eletrônica e Fluxo de Caixa, além de conversar com diversos expositores.

Na feira, além de um centro de atendimento do Sebrae, havia seções de stands sobre franquias, equipamentos, representações, produtos ecológicos e uma seção exclusivamente destinada a Softwares, onde mantive bons contatos.

No dia 11, assisti uma palestra sobre o Empretec (http://empretec.sebrae.com.br/), onde o que mais me chamou a atenção foi a colocação de que quanto mais empresas um país tem, mais rico ele é, e vice-versa.

No mesmo dia, a palestra "Atitude ou nada", do Steven Dubner (http://www.stevendubner.com.br/), emocionou e contagiou muitos empreendedores presentes ao falar do seu trabalho com deficientes físicos e mentais em todo o mundo.

Steve mostrou uma série de vídeos contando a história de diversos exemplos em superação, coragem e atitude perante as dificuldades.

Para finalizar, o ótimo show do Jair Kobe, o Guri de Uruguaiana, onde ele envolve o público com seus causos gauchescos e apresenta diversas versões para a música "Canto Alegretense". Imperdível. Abaixo um vídeo sobre o show:


Leia outros artigos no site oficial do evento: http://www.feiradoempreendedor-rs.com.br/
Artigo publicado no Jornal Hoje de Montenegro-RS

A historia do jogo Tetris


Estes tempos assisti um documentário no canal Management TV (54 da Sky) falando do jogo Tetris, famoso no final dos anos 80 e início dos 90, onde o objetivo é encaixar os blocos de diferentes formatos e cores que caem na tela formando linhas de cores iguais para que os blocos desapareçam. O jogo acaba quando algum bloco encostar no topo.

Tetris foi um sucesso, vendeu milhões de cópias no mundo inteiro, mas seu criador, o russo Alexey Pajitnov, pouco viu do dinheiro gerado. Isso se deu porque na antiga União Soviética os direitos de propriedade intelectual pertenciam ao governo na época, portando, era compartilhado com todos, e se alguém tentasse comercializar teria sérios problemas, podendo acabar preso. O jogo foi criado no Centro de Computação de Moscow, onde entre outras coisas, Pajitnov criou algoritmos para calcular a trajetória dos satélites Sputnik. Os colegas de Pajitnov passavam horas jogando, pois era diferente dos jogos americanos, repletos de tiros e explosões. O autor coloca que o jogo era estimulante, pois o que ficava na tela eram erros, ou seja, blocos que não haviam sido encaixados corretamente, e os jogadores queriam consertá-los.

Robert Stein, da Andrômeda Software, fazia fortuna comprando software na Hungria e revendendo na Inglaterra. Como o Tetris era copiado de disquete em disquete livremente na época, logo chegou às suas mãos e lhe fascinou. Stein entrou, então, em contato por Telex com Pajitnov lhe oferecendo alguns milhares de dólares pelos direitos. Pajitnov achou irrelevante, pois jogos não eram seu foco, estava preocupado com questões mais importantes, mas respondeu que achou a idéia interessante e que poderiam evoluir o assunto. Stein entendeu que a proposta havia sido aceita e passou a negociar os direitos com a Microsoft para produzir o jogo para PC. Uma campanha de marketing anunciava em jornais e revistas o lançamento do jogo quando Stein recebeu um contato de um representante da Elrog, única organização governamental soviética autorizada a vender software para o exterior, e foi comunicado que o que estavam fazendo era ilegal: não poderiam negociar direto com o criador. Stein, então, conseguiu os direitos por 10 anos em uma reunião na Elrog que o mesmo caracteriza como um interrogatório.

Em 1988 os consoles de videogame já faziam muito sucesso, e a Microsoft e suas sócias na Inglaterra e EUA fecharam um acordo com a Atari para que ela produzisse o jogo para consoles. Em seguida, foram iniciadas negociações com a japonesa Nintendo, através de Henk Rogers, da empresa Bullet Proof. Stein negociava com a Microsoft e Nintendo, e no meio de impasses relacionados à assinatura de contratos e pagamentos vencidos, Henk se deslocou a Moscow para conseguir os direitos do Tetris para o Game Boy da Nintendo, que seria lançado em breve com o jogo Tetris no pacote. Na reunião de Henk com o representante da Elrog, constataram que haviam cedido os direitos apenas para PC a Stein, e que todo a negociação da Microsoft com a Atari era inválida. Sem saber do contato de Henk com a Elrog, Stein assinou uma alteração no contrato onde foram inseridas cláusulas que deixavam clara a licença apenas para PCs e foram estipuladas multas por violações e atrasos nos pagamentos.

Henk fez amizade com o criador, Pajitnov, e acabou conseguindo os direitos exclusivos para console para a Nintendo, o que causou um choque na Atari e suas parceiras no negócio. Atari processou a Nintendo, pois já tinha produzido milhões de cópias dos cartuchos, mas perdeu, e o Tetris foi o ponto chave no sucesso do Game Boy.

E o autor? Não recebeu sequer um centavo até 96, quando o contrato de cessão dos direitos expirou. Pajitnov acabou indo para os EUA em 91, com ajuda de Henk, onde criou uma empresa de desenvolvimento de software chamada Tetris Company, e em 96 foi para a Microsoft como designer de jogos.

Tetris está agora novamente pronto para se tornar um sucesso, em celulares e smartphones, dessa vez gerando receita para Pajitnov.
quarta-feira, 26 de maio de 2010
Procurando pelos fontes do jogo Gorillas, achei uma versão para iPhone:


Esse jogo tem um significado especial pra mim, pois foi o primeiro código fonte mais elaborado que eu tive contato na minha infância, por volta dos 12 anos de idade. Eu já sabia programar em Basic antes disso, aprendi digitando jogos que vinham em revistas e manuais da época, por volta de meados dos anos 80.

O nome da revista era Microsistemas, e eu digitava tudo em um CP 300 da Prológica.


Mas quando a minha irmã e meu cunhado adquiriram um IBM Aptiva, que vinha com Windows 3.11, kit multimídia e OS2 Warp, veio junto o QBasic, ambiente de desenvolvimento da Microsoft. Nele haviam dois jogos de demonstração: Nibbles e Gorillas.

Nibbles acabou tendo uma versão para os celulares da Nokia no início dos anos 2000, aquela série 5120, 6120. É o "jogo da minhoca", para saberem do que eu estou falando.

No Gorillas os jogadores tinham que informar o ângulo e a força para o arremesso da banana, e o objetivo era acertar o gorila adversário. Conforme a banana batia nos prédios, estes iam sendo destruídos. O vento impactava na trajetória da banana.

Eu passava horas alterando os fontes, aumentando o poder das explosões das bananas, as cores e outros parâmetros. Quando dava errado, eu voltava uma cópia do arquivo (sim, com 8 anos eu já fazia backup dos fontes).

Veja mais detalhes sobre a versão para iPhone, a verão original e obtenha o código fonte em:
http://gorillas.lhunath.com/


*esta postagem faz referência a conteúdo de terceiros. os direitos e responsabilidades dos trechos citados são reservados aos respectivos autores.
quinta-feira, 26 de novembro de 2009
quando há crise, os investimentos em tecnologia aumentam, para reduzir custos e substituir pessoas por máquinas. são propriedades do capitalismo que devemos nos acostumar a conviver com elas.

mudanças na legislação também são, historicamente, fatores que exigem esforços do setor de TI, conforme citado na matéria:

"'As companhias precisaram se adaptar à legislação, por conta do Sped Fiscal, e às normas contábeis, com a adoção do novo padrão de demonstrações financeiras para empresas brasileiras', diz Daniel Schwebel, gerente da área de tecnologia da informação da Page Personnel.(...)

Quanto aos cargos mais valorizados no próximo ano, o gerente cita que estão os profissionais ligados à internet, segurança da informação, business intelligence (BI), desenvolvimento em linguagens de programação Java e .Net." - ANDREA GIARDINO, DA COMPUTERWORLD


leia na íntegra: Salários de profissionais técnicos aumentaram até 30% este ano

*esta postagem faz referência a conteúdo de terceiros. os direitos e responsabilidades dos trechos citados são reservados aos respectivos autores
sexta-feira, 20 de novembro de 2009
eu já tinha lido em algum lugar, mas não sabia que o nome era esse. 

hoje, por acaso, precisei de opções mais avançadas de pesquisa e por curiosidade cliquei na opção "Roda mágica" das opções de pesquisa do Google:

note que eu havia pesquisado por "marcos henke". após clicar no link "Mostrar opções", depois "Roda mágica" na barra lateral, foi exibida a imagem abaixo. ao selecionar qualquer link da imagem é efetuada uma nova busca e a árvore vai se expandindo, agregando os resultados relacionados:





*esta postagem faz referência a conteúdo de terceiros. os direitos e responsabilidades dos trechos citados são reservados aos respectivos autores
domingo, 1 de novembro de 2009
mais um capítulo da saga de desenvolver em Asp.Net:

precisei de uma ferramenta para gerar relatórios em um sistema em Asp.Net que desenvolvo. como utilizo o Visual Web Developer 2008, instalei o Report Viewer 2008, aprendi a usá-lo, montei um relatório bem legal e fui *tentar* publicar na Locaweb.

normalmente quando adiciono componentes aos Web Forms as dlls necessárias são copiadas para a pasta \bin do meu projeto automaticamente. neste caso, não havia sido copiada nenhuma, e tive a esperança ingênua de que não seria necessário. claro que era. ao tentar carregar a página do relatório online recebi a mesagem de erro:

Parser Error Message: Could not load file or assembly 'Microsoft.ReportViewer.WebForms, Version=9.0.0.0, Culture=neutral, PublicKeyToken=b03f5f7f11d50a3a' or one of its dependencies. The system cannot find the file specified.

uma rápida pesquisa no meu computador me indicou o local da dll solicitada. como utilizo o Windows 7 64 bits, no meu caso a dll estava em:
C:\Program Files (x86)\Microsoft Visual Studio 9.0\ReportViewer

fiz upload e tentei acessar novamente. agora apareceu o erro:
Parser Error Message: Could not load file or assembly 'Microsoft.ReportViewer.Common, Version=9.0.0.0, Culture=neutral, PublicKeyToken=b03f5f7f11d50a3a' or one of its dependencies. The system cannot find the file specified.

pesquisei no Wiki da Locaweb e vi que estava no caminho certo. só que no meu caso foi mais complexo, pois a nova dll requisitada não se encontrava na pasta do Report Viewer. fiz diversas buscas, procurei acessando os locais mais prováveis e não encontrei. como funcionava no meu computador e conferi que havia uma entrada no Web Config que fazia referência à essa dll, eu tinha certeza de que ela se encontrava em algum lugar, bastava descobrir onde.

lembrei do GAC, o Global Assembly Cache, e fui conferir. realmente, estava lá. só não havia como copiar a dll pelo Windows Explorer, tive que acessar pelo prompt de comando.
a maldita dll fica na pasta:
C:\Windows\assembly\GAC_MSIL\Microsoft.ReportViewer.Common\9.0.0.0__b03f5f7f11d5
0a3a


a estrutura do .Net organiza a pasta C:\Windows\assembly de uma forma que pelo Windows Explorer aparece o seguinte:
na real, o que aparece ali é apenas uma referência ao real local da dll, que fica na pasta citada anteriormente.

copiei pelo prompt para a pasta \bin do meu projeto, fiz upload e......
An error occurred during local report processing.
The definition of the report 'Main Report' is invalid.
An unexpected error occurred in Report Processing.
Could not load file or assembly 'Microsoft.ReportViewer.ProcessingObjectModel, Version=9.0.0.0, Culture=neutral, PublicKeyToken=b03f5f7f11d50a3a' or one of its dependencies. The system cannot find the file specified.


bom, agora eu já sabia o que fazer. prompt do dos (cmd), copiar a Microsoft.ReportViewer.ProcessingObjectModel.dll da pasta GAC:


feito! levei 15 minutos pra construir o relatório e só 4 horas pra botar ele no ar. foi mais rápido dessa vez do que no problema anterior.

Ambiente de desenvolvimento:
Visual Web Developer 2008 Express
Report Viewer 2008
Windows 7 RC1 64 bits
segunda-feira, 21 de setembro de 2009

pô, marcelo... que olhar meio "tchuc tchuc"
brincadeiras a parte, parabéns pelo sucesso!

autógrafo na credencial
quinta-feira, 10 de setembro de 2009
essa me tirou o sono algumas vezes e preciso compartilhar:

situação:
desenvolvimento de um sistema simples em Asp.Net. tudo funcionava muito bem, desenvolvido na IDE do VWD 2008 Express, com seus drags and drops, mouse clicks e etc.

sistema publicado numa hospedagem contratada e sendo atualizado constantemente. tudo perfeito, até que num determinado dia ao tentar abrir meu banco de dados SQL Server Express local, com o arquivo .mdf armazenado dentro da pasta App_Data do meu projeto, recebo a assombrosa mensagem:

"Cannot open user default database. Login failed."


Ambiente de desenvolvimento:
Visual Web Developer 2008 Express
SQL Server 2008 Express
Windows 7 RC1


vou pro Google, MSDN, pesquiso, pesquiso, leio, leio mais, pesquiso de novo, uns dizem pra executar umas linhas de comando, outros pra instalar ferramentas...

removi todo o ambiente e reinstalei várias vezes e continuava lá a maldita mensagem "Cannot open user default database. Login failed."

obviamente, tentei alterar usuário de conexão, atribuir permissões no file system, tentei de tudo que me veio a mente mesmo.

até que, num desses momentos de inspiração, resolvi preencher manualmente o campo Initial Catalog, das propriedades avançadas da conexão configurada no Database Explorer do VWD 2008.

digitei nesse campo, por minha conta, o mesmo nome do arquivo que eu havia criado na pasta App_Data. este campo é do tipo texto, não habilita um combo para seleção, tem que digitar na mão mesmo.

pois funcionou! bombou, depois de vários dias tentando tudo que é "solução furada" que eu achava na Internet.

detalhe importante:
eu jamais alterei essa configuração. funcionava inicialmente, ficou mais de um mês funcionando, e simplesmente de uma hora pra outra parou de funcionar. acredito que tenha sido alguma atualização do VWD ou do SQL Server que ferrou meu trabalho por um bom tempo.

obrigado Microsoft! resolver esse problema me tomou quase tanto tempo quanto construir o sistema. isso é o que vocês chamam de produtividade? de ambiente RAD?
quarta-feira, 9 de setembro de 2009
Este artigo foi publicado no Jornal O Progresso de Montenegro em 28/08/2009:

A proposta de lei 607/07, de autoria do senador Expedito Júnior, que regulamenta o exercício da profissão de Analista de Sistemas foi aprovada na comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal esta semana. O projeto ainda precisa ser aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais e depois pela Câmara, mas há muitos anos tem sido discutida e causa muita polêmica.

Se o projeto for aprovado, apenas poderá exercer o cargo de Analista de Sistemas quem possuir diploma de nível superior em Análise de Sistemas, Ciência da Computação ou Processamento de Dados, ou aqueles que na data de entrada em vigor da lei tenham exercido comprovadamente por no mínimo 5 anos a função de analista.

A lei também se refere à profissão de técnico de informática, atestando que só poderão exercê-la os portadores de diploma de ensino médio ou equivalente, de curso Técnico de Informática ou de Programação de Computadores, ou os que, na vigoração da lei, comprovem o exercício da função por pelo menos 4 anos.

Prós:
Os defensores do projeto alegam que:
- O mercado ganhará profissionais mais qualificados e produtos melhores
- Auxiliará na profissionalização do setor
- Fará com que a competição do mercado seja mais justa e equilibrada, gerando oportunidades melhores
- Trará aos clientes mais segurança e sistemas mais eficazes

Contras:
- A TI brasileira já enfrenta dificuldade em relação à mão de obra, com carência especialmente nas áreas de análise e programação. Se esta regulamentação for aprovada, o quadro irá se agravar ainda mais
- Muitos profissionais iniciantes pagam o seu curso de graduação com o seu próprio salário atuando na área, com os conhecimentos adquiridos em livros e pela Internet, o que será impossibilitado
- A redução da carga horária para atividades com esforços repetitivos para 20 horas semanais aniquilará a produtividade e a competitividade
- O projeto está totalmente defasado. Foram criadas novas atividades e formações para o setor que não estão contempladas na lei. (Para ter uma idéia, a formação em Processamento de Dados citada na proposta foi extinta há mais de 10 anos)
- Não há compatibilidade do texto do projeto com a realidade do mercado
- O projeto está sendo conduzido e votado por pessoas que não possuem o mínimo conhecimento sobre o assunto

Há quem defenda e compare com outras profissões como Medicina, Engenharia Civil e Advocacia, onde apenas profissionais formados podem atuar em suas áreas, e são vinculados a CREMERS, CREA e OAB, por exemplo. Também há quem diga que diploma não comprova a competência do profissional. Na área da informática, por exemplo, os personagens que revolucionaram o mundo atual, como Bill Gates, Steve Jobs, Linus Torwalds, não eram formados quando criaram suas empresas e produtos. Também podemos ver prédios caindo, médicos estuprando e matando e advogados lavando dinheiro. Ou seja, o canudo não é atestado de nada.

Claro, como já comentei aqui em outras oportunidades, estamos cada vez mais dependentes de sistemas informatizados, e eles devem ser feitos por profissionais competentes. Se todas as universidades fossem gratuitas, a discussão seria diferente, mas como sempre, a população tem o ônus e o governo o bônus.


Para este artigo, utilizei como fonte de inspiração e de dados a matéria “Analista, só com diploma. Bom ou mau?” do site Baguete


Frase da semana: “A imaginação é mais importante que o conhecimento” – Albert Einstein
Este artigo foi publicado no Jornal O Progresso de Montenegro em 21/08/2009:

Li semana passada na revista ISTOÉ, Ed. 2074 de 12 de agosto/2009, uma matéria sobre o Senado intitulada “Os cavaleiros do apocalipse”, onde a chamada dizia: “A troca de insultos e ameaças entre parlamentares leva o senado a seu pior nível na história, praticamente elimina a possibilidade de punições e aponta o tom que terá a campanha eleitoral do ano que vem”. Lembrei imediatamente da música “Que país é este” da banda Legião Urbana, lançada em 1987, ou seja, há 22 anos, mas que ainda é assustadoramente atual.

“Legião Urbana foi uma banda brasileira de rock surgida em Brasília ativa entre 1982 a 1996. Ao todo, lançaram treze álbuns, somando mais de vinte milhões de discos vendidos. Ainda hoje é o terceiro maior grupo musical da gravadora EMI-Odeon em venda de discos por catálogo no mundo, com média de duzentas mil cópias por mês. O fim do grupo foi marcado pelo falecimento de seu líder e vocalista, Renato Russo, em 11 de outubro de 1996.” – Wikipédia



Que País é Este - Legião Urbana - 1987
Composição: Renato Russo

Nas favelas, no senado
Sujeira pra todo lado
Ninguém respeita a constituição
Mas todos acreditam no futuro da nação
Que país é esse?

No Amazonas, no Araguaia iá, iá,
Na Baixada Fluminense
Mato Grosso, nas Gerais e no
Nordeste tudo em paz
Na morte eu descanso, mas o
Sangue anda solto
Manchando os papéis, documentos fiéis
Ao descanso do patrão
Que país é esse?

Terceiro mundo, se for
Piada no exterior
Mas o Brasil vai ficar rico
Vamos faturar um milhão
Quando vendermos todas as almas
Dos nossos índios num leilão
Que país é esse?
Este artigo foi publicado no Jornal O Progresso de Montenegro em 07/08/2009:

Durante o primeiro semestre de 2009 ouvimos falar muito em crise, recessão e desemprego.
Acompanhando o mercado de trabalho de Tecnologia da Informação (TI) pude constatar que as empresas estavam receosas em novas contratações, mas que mesmo assim continuavam crescendo timidamente.

Agora no segundo semestre, mais especificamente nesta primeira semana de Agosto, notei uma explosão de oportunidades na área de TI. Os classificados dos grandes jornais da região estão recheados de anúncios para vagas de Analistas de Sistemas, Programadores, Atendentes de Suporte, Administradores de Redes, Vendedores de sistemas e equipamentos e Gerentes. Nos grandes portais de TI, como o ComputerWorld e Baguete, há dezenas de anúncios de vagas para estas mesmas funções.

Refletindo sobre os motivos disso, pude formular as seguintes hipóteses:
1) Com a crise, as empresas precisam cortar custos. Uma maneira de fazer isso é substituindo pessoas por máquinas e sistemas informatizados, o que explica essa demanda de profissionais de TI.
2) Independente da crise, a tecnologia está ficando mais barata e surgem diariamente novos sistemas para atender os mais variados setores, englobando empresas nanicas e as mega corporações. O entendimento sobre as vantagens da informatização é cada vez maior e o fator crise fez apenas com que se postergassem por 6 meses as contratações.

O interessante é que nos mesmos veículos de comunicação que anunciam vagas na área podemos também ler que há cada vez menos alunos ingressando nas universidades nos cursos relacionados. Isso gerou o déficit de 150 mil vagas no setor no Brasil até o momento, ou seja: 150 mil vagas não possuem profissionais qualificados para preenchê-las, e esse número pode chegar a 470 mil em 2011, daqui a dois anos.

O que afasta as pessoas de ingressar na área pode incluir a imagem do estereótipo do nerd, a impressão que o trabalho é enfadonho, que o mercado está saturado, que já existe sistema pra tudo, entre outros motivos. Eu particularmente acho que é preguiça de estudar e pensar.

Informática é tão difícil quando estudar qualquer engenharia. Medicina é "mais difícil"? A responsabilidade é "muito maior", porque lida com vidas humanas? Talvez se pensarmos como TI em apenas assistência técnica (consertar computadores), a resposta seja sim. Mas você já parou pra pensar o quanto sua vida depende hoje da informática? Já pensou o que erros de cálculo ou lógica em sistemas financeiros, de controle militar, do seu automóvel, do avião que você pega, dos aparelhos que os cirurgiões utilizam podem causar?

Escrevo isso tudo para induzir o leitor, e principalmente os adolescentes que estão escolhendo a futura profissão, a refletir sobre o número de candidatos por vaga nos vestibulares para os cursos de medicina, odonto, direito e outros top of mind em relação ao número de candidatos para os cursos de TI. Se não tiver preguiça de pensar, é uma boa alternativa.

“As oportunidades comumente se disfarçam como trabalho duro: por isso a maioria das pessoas não as reconhece” – Ann Landers
Cenário:
Notebook com Windows 7 (seven) 64 bits instalado. Problemas de incompatibilidade com alguns programas. Surgiu a necessidade de instalar um Windows XP. Optei por instalar na mesma partição do Windows 7. Poderia ter criado uma VM, mas sou da Old School.

Instalação do XP bem sucedida.

Problema 1:
A instalação do XP matou o Boot do Windows 7. Não adiantou alterar o Boot.ini do XP, criar um menu de inicialização, pois o boot do Vista e 7 são diferentes do XP, não rola.

Tentativa de solução 1:
rodar o comando bootrec /fixmbr (http://support.microsoft.com/kb/927392) a partir do disco de instalação do Win7, entrando na opção Recovery.

Problema 2:
indisponibilidade de um DVD do Win7 64bits.
alternativa: DVD do Win7 32 bits ou Vista 64 bits. não funcionou nenhum dos dois.

Solução definitiva:
Instalar o EasyBCD no Windows XP e configurar o dual boot do Win7 + XP.
Ele tem opções para criar um menu de inicialização, regravar o MBR (Master Boot Record), restaurar arquivos de boot e várias outras.

Importante: Para rodar o EasyBCD foi necessário instalar o Windows Installer 3.1 e o DotNet Framework 2.0 no XP.

http://www.guiadohardware.net/dicas/easybcd.html
quarta-feira, 2 de setembro de 2009

o governo federal disponibiliza dezenas de softwares gratuitos e com código aberto, muitos deles podem beneficiar a sua empresa:



I-educar
O I-educar é um sistema de gestão escolar que tem como uma de suas principais vantagens à centralização das informações de todas as escolas municipais em um banco de dados único, controlando o cadastro de alunos, com seus dados pessoais, familiares e pedagógicos. Funcionalidades como: matrículas, transferências, emissão de certificados e diplomas, suspensões, quadro de horários, são realizados de forma integrada. Todos os relatórios gerenciais e dados exigidos pelo Ministério da Educação para liberação de recursos podem ser obtidos em tempo real. O sistema conta também com um módulo de biblioteca que faz a gestão de bibliotecas de cada escola. A gestão da escola feita de forma sistemática diminui a carga de trabalho de todo corpo administrativo da escola e da secretaria, resultando mais tempo livre para o desempenho de outras atividades.

SPED
O Sistema de Protocolo Eletrônico de Documentos (SPED) é um sistema WEB que surgiu da necessidade de integrar o controle na troca de documentos internos e externos das Organizações Militares do Exército. A partir desta necessidade o sistema foi desenvolvido pelo Exército para controlar o protocolo de documentos.

Cacic
Primeiro Software Público do Governo Federal, resultado do Consórcio de Cooperação entre a SLTI - Secretaria de Logística Tecnologia da Informação, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão - MPOG e a DATAPREV - Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social, desenvolvido pelo Escritório Regional da DATAPREV no Espírito Santo.

O Cacic é capaz de fornecer um diagnóstico preciso do parque computacional e disponibilizar informações como o número de equipamentos e sua distribuição nos mais diversos órgãos, os tipos de softwares utilizados e licenciados, configurações de hardware, entre outras. Também pode fornecer informações patrimoniais e a localização física dos equipamentos, ampliando o controle do parque computacional e a segurança na rede.

Desenvolvedor - DATAPREV - Empresa de Processamento de Dados da Previdência Social
Linguagem - Php, Perl, Python, Delphi
Banco de Dados - Mysql


SAGUI
O SAGUI é um sistema para gestão de ativos onde esteja instalado o GNU/Linux. Entenda-se por gestão: instalação, customização, atualização, correção e monitoramento. O sistema utiliza tecnologias amplamente difundidas tais como PHP, servidor web Apache, Banco de Dados Postgresql.

XEMELÊ
O Xemelê busca compartilhar soluções para fomento da comunicação interativa e dos processos colaborativos na Internet. (1) WordPress para Portais -- conjunto de plugins que customiza a plataforma para gerenciar sites institucionais; e o (2) ChatCast para Interatividade em Tempo Real -- interface que integra streaming de vídeo com um ambiente de chat.

I3GEO
O I3Geo é um software para internet baseado em um conjunto de outros softwares livres, principalmente o Mapserver. O foco principal é a disponibilização de dados espaciais ao público, aliado a um conjunto de ferramentas de navegação, análises espaciais, compartilhamento de dados
e geração de mapas sob demanda.

SIGATI
O Sigati é uma ferramenta gráfica que consolida em uma única interface a administração de serviços de diretório baseados no OpenLDAP, permitindo a administração de objetos, partições, réplicas, esquemas e listas de controle de acesso. Diferentemente de outras ferramentas livres existentes, que geralmente provêem apenas administração de objetos, o Sigati permite um gerenciamento mais amplo, facilitando a execução de atividades complexas e evitando que o administrador tenha que editar manualmente os arquivos de configuração do diretório.

SGD
O SGD foi desenvolvido dentro da filosofia de software livre para atender as necessidades da TI, transformando as demandas internas em projetos que são controlados pelo escritório de projetos, melhorando conseqüentemente a qualidade do atendimento do serviço público. Contudo, por sua flexibilidade, a ferramenta pode ser utilizada por qualquer área, órgão público ou empresa que deseje o efetivo controle de suas demandas. O sistema apesar de empregar técnicas voltadas à orientação de objetos, adoção de linguagem de programação livre e a arquitetura do sistema estruturada em três camadas, tem a preocupação da adoção de padrões abertos, bem como a aderência com a política de software livre do governo federal.

GSAN
Sistema integrado de gestão de serviços de saneamento. O GSAN é um sistema, desenvolvido com ferramentas de software livre, de Gerência de Operações Comerciais e de Controle da execução de serviços internos, disponível gratuitamente para prestadores dos serviços de saneamento brasileiros e para atendimento de seus usuários.
O GSNA foi criado com o objetivo de elevar o nível de desempenho e de eficiência das empresas de abastecimento de água e coleta de esgotos, e pode ser adaptado a empresas de pequeno, médio e grande portes.

Curupira
Solução corporativa em Software Livre, desenvolvida pela equipe da CAIXA, utilizando código aberto e executado sob o sistema operacional Linux, que permite o gerenciamento dos processos de impressão através da gestão racional dos elevados custos, volumes de impressão, insumos, permissões e eficiência do uso em redes corporativas.

Cocar
O CONTROLADOR CENTRALIZADO DO AMBIENTE DE REDE ­ COCAR foi desenvolvido pelo DERE com o objetivo de disponibilizar, para todos os escritórios, uma ferramenta para monitoração do tráfego nos circuitos da rede de acesso e fornecer alarmes informativos de queda de performance nestes circuitos com o armazenamento dos dados coletados.

Lightbase
A solução LightBase é um banco de dados textual multimídia e reúne um ambiente de desenvolvimento rápido de aplicações e um servidor tridimensional para recuperação textual, possibilitando um rápido acesso a qualquer informação da base de dados. A ferramenta foi disponbilizada em conjunto com o GoldenDoc.

O GoldenDoc fornece um conjunto de frameworks Web para a implantação de soluções voltadas para o gerenciamento de informações e arquivos eletrônicos, focando na captação, ajustes, distribuição e organização dos conteúdos para apoio aos processos operacionais, com base em informações estruturadas ou não. A solução possibilita a recuperação de qualquer tipo de documento e ao mesmo tempo dispõe de recursos avançados para o gerenciamento do conteúdo digital.
As duas soluções foram disponibilizadas pela empresa Light Infocon Tecnologia S/A no Portal do Software Público.

KyaPanel
O KyaPanel é um sistema de gestão para servidores de e-mail que utilizam Postfix, LDAP e Courier.

Além da gerência comum ele também está integrado com o Egroupware quando utilizado com Postgres, permitindo a seleção dos aplicativos disponíveis na mesma interface do KyaPanel.

Desenvolvido em camadas, o seu core está desenvolvido em Shell Script e sua interface em PHP, que executa o core através de um daemon próprio. Esta estrutura permite que outras interfaces sejam desenvolvidas sem afetar o comportamento do sistema. Em sua nova série o KyaPanel esta 100% integrado ao LDAP, MySQL e PostgreSQL. Basta selecionar a base que melhor lhe atender.

E-PROINFO
O Ambiente Colaborativo de Aprendizagem - e-ProInfo é um software público, desenvolvido pela Secretaria de Educação a Distância - SEED do Ministério da Educação - MEC e licenciado por meio da GPL-GNU, Licença Pública Geral.

Ressaltamos que o e-ProInfo é software público e possui licenciamento específico. O contrato segue às regras da Licença Pública Geral - GPL e deve ser conhecida pelas Instituições que pretendem utilizá-lo. Para obter informações referentes as regras o usuário deverá acessar o link GNU GPL.

InVesalius
InVesalius é um software público para área de saúde que visa auxiliar o diagnóstico e o planejamento cirúrgico. A partir de imagens em duas dimensões (2D) obtidas através de equipamentos de tomografia computadorizada ou ressonância magnética, o programa permite criar modelos virtuais em três dimensões (3D) correspondentes às estruturas anatômicas dos pacientes em acompanhamento médico. O software tem demonstrado grande versatilidade e vem contribuindo com diversas áreas dentre as quais medicina, odontologia, veterinária, arqueologia e engenharia. O programa foi desenvolvido pelo antigo CenPRA atual CTI(Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer), unidade do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), através das linguagens de programação Python e C++. Atualmente opera em GNU Linux (Ubuntu, Fedora e OpenSuse já foram testados) e Windows (XP e Vista), sendo que é licenciado pela CC-GNU GPL (Licença Pública Geral) versão 2 (em português).

Sisau-Saci-Contra
Software de atendimento aos usuários, Sistema de gerenciamento de Portais e de controle de acesso.
Desenvolvedor: Ministério do Desenvolvimento Agrário
Linguagem: PHP
Banco de Dados: PostgreSQL

ASES
O ASES - Avaliador e Simulador de AcessibilidadE sítios - tem por objetivo viabilizar a adoção da acessibilidade pelos órgãos do governo, sendo uma ferramenta que permite avaliar, simular e corrigir a acessibilidade de páginas, sítios e portais.

Seu público-alvo são os desenvolvedores e publicadores de conteúdo. Sendo desenvolvido para ser acessível, o que quer dizer que pode ser utilizado por pessoas portadoras de deficiências, salvo os casos em que a deficiência impeça o objetivo da ferramenta em questão. Por exemplo, um cego não irá descrever uma imagem, sendo assim, ele não utilizaria essa ferramenta do software, porém nada impede que ele faça correções em códigos HTML.

AMADEUS
O Projeto Amadeus visa o desenvolvimento de um sistema de gestão da aprendizagem de segunda geração, baseado no conceito de blended learning. O Projeto que permite extender as experiências adiquiridas de usuários de educação a distância para diversas plataformas (Internet, desktop, celulares, PDAs, e futuramente TV Digital) de forma integrada e consistente. Essa ampliação das formas de interação dos usuários com os conteúdos e dos usuários entre eles permite a implementação de novas estratégias de ensino e de aprendizagem orientadas por teorias construtivistas ou socio-interacioniste do desenvolvimento humano.

OpenACS
O Sistema de Arquitetura de Comunidades Aberto (OpenACS) é um framework de desenvolvimento Web para construir aplicações que suportam comunidades virtuais. O OpenACS fornece uma infra-estrutura robusta, construída em cima dos seguindes componentes padrão: a linguagem de programação Tcl, um banco de dados PostgreSQL ou Oracle para armazenar os dados da aplicação, o servidor AOLServer para o serviço HTTP e sistemas operacionais *nix ou Windows. Como outros frameworks modernos, o OpenACS dá suporte a: * Sistema de template para separar a lógica da apresentação; * Internacionalização para apresentar a interface de acordo com a linguagem do usuário; * Um sistema de pacotes modular para criar aplicações dependentes; * Um sistema de papéis e permissões; * Um repositório de conteúdo (content repository) para armazenar todos os tipos de conteúdo e manter um histórico de versões.

Ginga
Ginga é a camada de software intermediário (middleware) que permite o desenvolvimento de aplicações interativas para a TV Digital de forma independente da plataforma de hardware dos fabricantes de terminais de acesso (set-top boxes). Resultado de anos de pesquisas lideradas pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Ginga reúne um conjunto de tecnologias e inovações brasileiras que o tornam a especificação de middleware mais avançada e, ao mesmo tempo, mais adequada à realidade do país. O Middleware Ginga pode ser dividido em dois subsistemas principais, que permitem o desenvolvimento de aplicações seguindo dois paradigmas de programação diferentes. Dependendo das funcionalidades requeridas no projeto de cada aplicação, um paradigma possuirá uma melhor adequação que o outro.

WebIntegrator
Webintegrator é um ambiente de alta produtividade para o desenvolvimento de aplicações Web em plataforma Java, que cria facilidades de uso e acelera o aprendizado técnico dos desenvolvedores.

Banco de Talentos
O Banco de Talentos foi desenvolvido no intuito de mapear os talentos da Câmara dos Deputados e identificar o potencial humano da Instituição, de modo a facilitar uma análise contínua da evolução funcional, por meio da disponibilização de informações prestadas pelos próprios servidores. Ele foi elaborado com base em um meta-modelo de dados que permite a sua adequação à realidade das mais diversas organizações. A Câmara dos Deputados está disponibilizando o Banco de Talentos à comunidade por meio do Portal do Software Público, sem ônus financeiro, visando a sua evolução e a melhor utilização dos recursos públicos.

CMS - Controle de Marcas e Sinais
O Marcas e Sinais é um software que auxilia o registro e consulta por marcas e sinais utilizados por produtores rurais.

Desenvolvido pela Prefeitura Municipal de Bagé, o sistema foi criado a partir da dificuldade de armazenagem e problemas ocasionados pelo manuseio de registros físicos.

O sistema é utilizado através da plataforma web, tornando mais fácil o acesso e sua a atualização.

Minuano
A Solução MINUANO – Transmissão de Áudio e Vídeo totalmente em Software Livre CAIXA, trata-se de um sistema de captura, processamento, compactação e distribuição do sinal digital para a intranet ou Internet, ao vivo e ou download. Solução com foco nas comunicações organizacionais e aplicação para Setor Público, Privado e Governo, em especial pelas características continentais do nosso Pais, possibilitando uma extrema agilidade nas comunicações e informações com drástica redução de custos. Solução certificada pelo Programa de Racionalização de Gastos e Eliminação de Desperdícios CAIXA.

Prefeitura Livre
O PREFEITURA LIVRE é uma solução de gestão municipal completamente livre e com suporte comercial de uma rede de empresas especializadas. Você não precisa pagar qualquer valor referente a licença de software para utilizar esta solução, basta baixar o código-fonte e configurá-lo adequadamente com os diversos SOFTWARES LIVRES que compõem a solução. O PREFEITURA LIVRE é a única solução de gestão municipal que implementa os principais conceitos associados ao Cadastro Técnico Multifinalitário (CTM) e ao Geoprocessamento Corporativo. Sendo um SOFTWARE LIVRE desenvolvido sob um framework estruturado em 3 camadas (MVC), ele pode ser adaptado rapidamente a qualquer nova demanda.

Apoena
Apoena é um Software Livre que surgiu da necessidade de facilitar a Democratização da Informação nos telecentros do Banco do Brasil. A ferramenta elabora Clippings de notícias. Funciona como uma agência de notícias coletando e processando informações de mais de 300 fontes informativas.

Linux Educacional
O Linux Educacional é uma solução de software que colabora para o atendimento dos propósitos do ProInfo de forma a favorecer ao usuário final no que se refere ao uso e a acessibilidade da mesma, bem como ao responsável pelo laboratório no que se refere a manutenção e atualização da solução.

A versão 3.0 do Linux Educacional, foi baseada em uma distribuição GNU/Linux chamada Kubuntu, com uma identidade visual simples e atrativa, aplicativos educacionais personalizados, ferramentas de acesso e busca dos conteúdos educacionais, repositório Debian de conteúdos educacionais mantido pelo MEC e ferramentas de produtividade.

Sistema de Atendimento
Gerencia um ambiente de atendimento ao público envolvendo: a emissão da senha, o gerenciamento das mesas de atendimento, o escalonamento das senhas, a chamada das senhas no painel, a avaliação do atendimento realizado e vários outros aspectos.

Pandorga
A distribuição educacional Pandorga GNU/Linux, é uma ferramenta com 120 atividades pedagógicas eficazes no auxílio do ensino infantil e fundamental especialmente em escolas públicas.

Surgindo a partir da necessidade de professores e profissionais de diversas áreas das escolas municipais da cidade de Cachoerinha/RS, que participaram de uma pesquisa, cujo resultado foi a necessidade de um pacote de programas pedagógicos específico para seus laboratórios de informática. Nosso slogan “É divertido educar” resume a distribuição, que recebeu o nome de pandorga, que significa pipa ou papagaio no RS, num significado de liberdade e brincadeira.

Liberdade por seguir a ética e as diretrizes do Software Livre, e brincadeira por acreditarmos que o ensino numa forma mais lúdica pode ser uma maneira fácil e eficaz de aprender e aumentar o interesse pelo aprendizado.


acesse:
Portal do Software Público
quarta-feira, 1 de julho de 2009
Este artigo foi publicado no Jornal O Progresso de Montenegro em 05/06/2009:


Certificações de TI

Certificação é uma forma de comprovar os conhecimentos em determinado assunto ou produto. Servem como complemento à formação de um profissional e cada vez mais as empresas estão exigindo este tipo de comprovação em suas contratações para cargos que exigem qualificação especializada.

Algo peculiar nas certificações é que não exigem que seja feito um treinamento oficial, ou seja: se você é autodidata, pode estudar da forma e no local que achar mais apropriado e depois realizar a(s) prova(s). As duas maiores empresas de certificação mundiais são a Pearson VUE e a Prometric. Elas disponibilizam as provas em formato eletrônico, que são aplicadas em instituições credenciadas. Aqui no RS podemos realizar as provas na Sisnema (www.sisnema.com.br), em Porto Alegre, por exemplo.

Segue uma lista de certificações altamente valorizadas no mercado de TI:

Java (www.sun.com.br/edu)
  • Sun Certified Java Associate (SCJA), Programmer (SCJP) e Developer (SCJD)
  • Sun Certified Mobile Application Developer (SCMAD)
  • Sun Certified Enterprise Architect (SCEA)

Oracle (www.oracle.com.br)
  • Níveis: Associado, Profissional e Master
  • Assuntos: Banco de dados, Middleware, Aplicações e Linux

Microsoft (www.microsoft.com.br)
As certificações da Microsoft são muito valorizadas pelo mercado e basicamente se dividem entre Infra-estrutura de TI e Desenvolvimento, abrangendo sua vasta gama de produtos.
  • Série de Tecnologia (Microsoft Certified Technology Specialist - MCTS)
  • Série Profissional (Microsoft Certified IT Professional ou Microsoft Certified Professional Developer)
  • Série Master (Microsoft Certified Master)
  • Série de Arquitetos (Microsoft Certified Architect - MCA)

Cisco (www.cisco.com.br)
As certificações da Cisco são citadas em qualquer lista de "certificações quentes". São certificações voltadas a infra-estrutura de rede.
  • Níveis: Associado, Profissional e Especialista:
  • Assuntos: Routing and Switching, Design (de arquitetura de redes), Network Security, Service Provider, Storage Networking, Voice e Wireless

ITIL (www.itsmf.com.br e www.itsmfi.org)
Melhores práticas de gerenciamento de TI. A Versão 3 apresenta os níveis:
  • Foundation, Intermediário, Avançado e Final (Advanced SM Professional Diploma)

Linux Professional Institute (LPI) (www.lpibrasil.com.br)
  • Certificação LPIC (níveis 1 a 3)

Project Management Institute (PMI) (www.pmtech.com.br)
Certificação em Gerenciamento de Projetos de qualquer área (TI, Engenharia Civil, Governo, etc). Por sua abrangência e possibilidade de aplicação em qualquer tipo de projeto, é muito valorizada.
  • Project Management Professional (PMP)

Unified Modeling Language (UML) (www.omg.org)
  • Níveis: Fundamental, Intermediário e Avançado


Frases da semana: “Imitação é uma forma de demonstrar admiração”; “Copiar o bom é melhor que inventar o ruim”
Este artigo foi publicado no Jornal O Progresso de Montenegro em 22/05/2009:

Música, computadores e videogames

Li aqui no Progresso semana passada sobre a possível organização de um torneio do jogo de videogame Guitar Hero e fiquei pensando sobre a evolução dos videogames, pois coincidentemente falei nesta coluna sobre os jogos de Nintendo (NES) 8 bits.

Naquela época os jogos lembravam - no máximo - desenhos animados. Suas músicas eram em formato MIDI, ou seja, uma representação digital dos sons dos instrumentos. O formato MIDI não suporta reprodução de voz, é como se o videogame ou computador “lesse uma partitura” e a reproduzisse com seu banco de instrumentos. Este formato foi muito usado recentemente nos celulares que suportam os chamados “toques polifônicos”.

Lembrei também que nesta época, além de jogar videogame, eu comecei a tocar violão e guitarra, pois sempre gostei de escutar música e prestava muita atenção nesses instrumentos. Tenho constatado que os adolescentes de hoje, em geral, também demonstram grande afinidade por esses elementos: música, computadores e videogames.

Hoje os videogames se assemelham a filmes e as músicas são em formato MP3 ou assemelhados, que reproduzem com fidelidade a gravação original, oferecendo uma experiência muito mais agradável. A interatividade também evoluiu bastante. Por exemplo, no jogo Guitar Hero que citei anteriormente, o jogador deve reproduzir a sequencia de “notas” enquanto toca ao fundo uma música, e é possível utilizar uma mini-guitarra para controlar o jogo no lugar dos controles convencionais. Há também o Rock Band, onde além da guitarra é possível tocar bateria, baixo e cantar!

Tenho visto relatos de campeonatos de Guitar Hero e Rock Band, onde centenas de jogadores se reúnem, é montado um palco - exatamente como em um show de rock, o jogo é projetado em um telão e o som rola nas caixas normalmente, como se uma banda estivesse tocando.

Já ouvi opiniões divergentes de músicos sobre esse jogo: Alguns acreditam que nada substitui o prazer de aprender um instrumento, tirar aquele som favorito, montar uma banda e se apresentar num palco. Realmente, eu posso falar que é uma sensação indescritível. Mas também temos que reconhecer que o Rock vinha perdendo seu espaço entre os jovens, sendo substituído por músicas eletrônicas, pagode, axé, sertanejo, emotional hardcore, etc., e estes jogos vem retomando o gosto por bandas que fizeram sucesso em décadas passadas e que muitas vezes os adolescentes nunca ouviram falar. Acabam conhecendo no jogo e ao ouvir no rádio em algum programa de clássicas do rock exclamam: “Esta música tem no Guitar Hero!”.

Na verdade, o que todos buscamos é diversão, e a tríade música + computadores + videogames é uma das formas que mais me atrai.


Site da semana: www.guitarhero.com e www.rockband.com

Frase da semana: “Se vi mais longe foi por estar sobre os ombros de gigantes” – Isaac Newton
Este artigo foi publicado no Jornal O Progresso de Montenegro em 01/05/2009:

Web Games: jogos gratuitos para jogar de qualquer computador com acesso a Internet, sem necessidade de instalação

Tenho falado rotineiramente aqui nesta coluna sobre Tecnologia da Informação, mercado de trabalho, dicas e oportunidades nessa área. Hoje vou acabar com a sua produtividade, para balancear um pouco, afinal “a gente não quer só comida, a gente quer comida diversão e arte”.

Há alguns anos eu conheço alguns sites de jogos online, os chamados Web Games. São jogos que podem ser jogados em qualquer browser, de qualquer computador que possua acesso à Internet. Normalmente são desenvolvidos em Flash, com recursos mais simples e jogabilidade muito menos complexa que os atuais jogos para PC e consoles, como Playstation 1, 2 e 3, Xbox, Wii, mas são bons passatempos. A minha esposa, Juliani, adora e sempre que ela acessa a Internet e possui uma folga na agenda passa alguns minutos jogando.

Vou listar alguns sites que eu conheço e mantenho na minha lista de Favoritos do delicious (http://del.icio.us), apesar de não ter conseguido tempo para visitá-los atualmente:

· http://games.terra.com.br/webgames

· http://jogos.clickrbs.com.br

· http://jogos.globo.com

· http://factory.lego.com

· http://www.kongregate.com/games/Shinki/super-crazy-guitar-maniac-deluxe-3

· http://www.freeonlinegames.com

Web Games para trintões nostálgicos

Nós, trintões nostálgicos que crescemos nos anos 80, hoje estamos em pleno exercício das nossas atividades profissionais e, portanto, possuímos pouco tempo para nos dedicar a esses passatempos (assim espero). No final da década de 80 e início da década de 90 tenho certeza que muitos de nós jogamos os jogos para o console Nintendo (NES). Eu tinha um Top Game da CCE, que aceitava os cartuchos “grandes”, do Nintendo Americano e os cartuchos “pequenos”, do Nintendo Japonês. Era uma revolução em relação aos Atari, febre no início dos anos 80 que atraía crianças e adultos. Passei muitas horas estimulando meu raciocínio e habilidade motora com esses jogos.

Já circulam por aí há muitos anos os famosos Emuladores para rodar no PC, onde baixamos as ROMs (arquivos contendo os programas dos jogos) e a utilizamos como se fosse a console original. Mas a dificuldade está em instalar o Emulador, configurar os controles, baixar as ROMs e conseguir fazer tudo isso funcionar sozinho, sem pedir ajuda aos filhos ou aos “caras da informática”. Pois esta semana encontrei um site que disponibiliza online e gratuitamente centenas de jogos para o Nintendo 8 bits:

· http://www.everyvideogame.com/arcade.php?mode=cat&c=1
(utilize o campo de seleção “Quick jump” para ver a listagem completa de jogos)

Os jogos são Applets Java, é requisito ter a Java Virtual Machine instalada. Não se preocupe, pois se o seu computador não a tiver, será exibido um link para sua instalação.

Boa diversão, mas não abuse e não acesse durante o expediente, OK?


Site da semana: www.everyvideogame.com

Frase da semana: “Estamos numa época em que o Fim do Mundo não assusta tanto quanto Fim do Mês”
um ótimo recurso do Delphi 2007 é o Refactoring. baseado nas funcionalidades de consagradas IDEs para Java e .Net, as versões do Delphi que vieram depois da 7 possuem um recurso chamado "Find units..."

pra que serve?
quando você tenta referenciar uma classe, objeto, método ou qualquer coisa que está declarada em uma unit que não está referenciada na cláusula uses, o Delphi sinaliza um erro de compilação (Ex.: [DCC Error] Main.pas(177): E2003 Undeclared identifier: 'WinExecAndWait32').

o comando "Find unit..." permite localizar a unit onde está a declaração do que você necessita, e permite adicionar através do click de um botão a unit à cláusula uses, permitindo ainda escolher se deve ser na seção interface ou implementation.

como usar?
botão direito em cima do identificador inválido (para abrir o menu de contexto) -> "Refactoring" -> "Find unit..."
quinta-feira, 25 de junho de 2009
iniciou ontem, dia 24, o FISL 10 na PUCRS em Porto Alegre.

visitei rapidamente o local, passando pelos estandes e assisti a uma palestra sobre "Web, Mobilidade e Computação Gráfica na área da saúde".

achei meio frustrante este primeiro dia, especialmente pelo fato do Google não estar presente com um estande e a falta de material de divulgação nos grupos de usuários que me interessei.

de qualquer forma, apoio muito este evento. hoje não fui, mas vou amanhã e sábado assistir diversas palestras, e deixo aqui algumas fotos deste primeiro dia:








Pesquisa Google

Creative Commons License

notificações por e-mail

endereço de e-mail:

by FeedBurner

sobre o autor...

Minha foto
Marcos Henke
Empresário e Engenheiro de Software.
Visualizar meu perfil completo
Ocorreu um erro neste gadget